Atlético-GO vence Corinthians (de novo) e fica perto de classificação às oitavas

Itaquera é do Dragão

O Atlético-GO venceu o Corinthians pela segunda vez nos últimos quatro dias – desta vez por 2 a 0, nesta quarta-feira, na Neo Química Arena – e se aproximou da classificação às oitavas de final da Copa do Brasil. Depois de ter vencido o mesmo rival, no mesmo local, no domingo, pelo Brasileirão, o Dragão conseguiu mais um grande resultado fora de casa e já despejou pressão extra sobre o início de trabalho do técnico Sylvinho no Timão. Os gols saíram no primeiro tempo, com Ronald e João Paulo. Sem respostas para a eficiência do Atlético, o Corinthians pouco fez e ainda teve Fagner expulso.

Como fica?

Atlético-GO e Corinthians fazem o jogo de volta na próxima terça-feira, às 21h30 (de Brasília), no Antônio Accioly, em Goiânia. O Timão precisará vencer por três gols de diferença para se classificar no tempo normal, enquanto o Dragão pode perder por até um gol. Qualquer vitória corintiana por dois gols leva a decisão para os pênaltis.

Central do Apito

Duas faltas em Zé Roberto, uma em cada tempo de jogo, custaram uma expulsão a Fagner. Para o comentarista de arbitragem Sálvio Spínola, o segundo cartão, que culminou no vermelho, foi justo, já que Fagner parou contra-ataque atleticano e, neste cenário, o árbitro não tinha outra opção que não fosse a de advertir o jogador com amarelo. O lateral-direito desfalca o Corinthians no jogo de volta.

Supremacia rubro-negra

O Atlético-GO mantém sua invencibilidade na Neo Química Arena. Em quatro jogos no local, o Dragão sequer sofreu um gol: são três vitórias, com quatro gols marcados, e um empate sem gols. Além disso, o retrospecto geral em 2021 impressiona – apenas uma derrota em 24 jogos. Marlon Freitas falou sobre a vitória.

Primeiro tempo

Dias depois do confronto pelo Brasileirão, o Atlético-GO explorou as mesmas deficiências do Corinthians, que não soube corrigir os erros que teve no domingo (inclusive na escalação, com nomes como Gil e Camacho mantidos) e sofreu novamente na quarta-feira. Com um buraco entre defesa e meio-campo à disposição, o Dragão explorou jogadas em velocidade principalmente pela direita, com o lateral Dudu. Primeiro ele cruzou para Zé Roberto chegar batendo – para fora. Pouco depois, aos 9 minutos, Dudu foi novamente acionado e encontrou Ronald sozinho para abrir o placar. Minutos depois, um erro individual de Raul, que tentou chutar, foi bloqueado e viu um contra-ataque do Atlético terminar em gol de João Paulo, dentro da área. Sem respostas aos passes que quebraram a marcação pressão, o Corinthians sofreu. Só tentou chegar em bolas aéreas, mas não teve um centroavante para finalizar – a melhor chance foi em cruzamento de Ramiro para cabeçada de Araos, bem defendida por Fernando Miguel. Eficiente, o Atlético-GO foi muito superior ao inofensivo Corinthians.

Segundo tempo

O Corinthians teve a bola nos pés (quase 70% de posse na maioria do tempo), mas seguiu sem saber o que fazer com ela. O Atlético passou a esperar o Timão, fechando-se num chamado bloco baixo e deixando zagueiros e volantes do rival trocarem passes. Sylvinho demorou a fazer substituições e só se mexeu quando Fagner foi expulso – após falta em Zé Roberto que rendeu o segundo cartão amarelo. Aí entraram Gabriel e Bruno Méndez (este para fazer a lateral direita). O poder ofensivo, que já era pequeno, praticamente acabou, e o Atlético perdeu chances de ampliar: Cássio fez grande defesa em chute de Pablo Dyego, e na sequência viu Lucão acertar o travessão. O Timão só teve centroavante a partir dos 39 minutos, quando Jô entrou em campo. A única chance foi numa cabeçada de Mateus Vital defendida por Fernando Miguel. Tarde demais para mudar o placar.

Compartilhar:

Willian garante vitória magra na estreia da Copa do Brasil

Willian: foi o jogador mais efetivo do time. Cabeceou uma bola na trave, perdeu boa chance na sequência e fez a jogada do gol mal anulado de Patrick de Paula. Depois de tudo isso, foi premiado com um gol de centroavante, aproveitando rebote do goleiro. Voluntarioso e muito útil como sempre. Nota: 7,0

Gustavo Scarpa: fez papel bem competente na organização e na criação das jogadas ofensivas. As melhores chances saíram de seus pés, como dois passes que deixaram Willian em condições de marcar, além do ótimo lançamento para Rony na jogada do gol. Não precisava ter saído no início do segundo tempo. Nota: 7,0

Patrick de Paula: foi importante na mudança de postura do Palmeiras a partir da metade do primeiro tempo. Foi mais combativo no meio e mais participativo nas transições e na construção das jogadas. Fez um gol mal anulado pela arbitragem. Nota: 6,5

As notas:

  • Jailson [GOL]: 6,5
  • Mayke [LAD]: 5,5
  • Luan [ZAG]: 6,0
  • Renan [ZAG]: 5,5
  • Victor Luis [LAE]: 5,5
  • Felipe Melo [VOL]: 5,5
  • (Michel [ZAG]: sem nota)
  • Patrick de Paula [VOL]: 6,5
  • Lucas Lima [MEI]: 5,0
  • (Raphael Veiga [MEI]: 5,5)
  • Gustavo Scarpa [MEI]: 7,0
  • (Zé Rafael [VOL]: 6,0)
  • Rony [ATA]: 6,0
  • (Wesley [ATA]: 5,5)
  • Willian [ATA]: 7,0
  • (Luiz Adriano [ATA]: 5,5)
Compartilhar:
×