Nenhum atleta de MS testou positivo para covid nas Olimpíadas, diz COB

Apesar dos recentes casos positivos de covid-19 nas Olimpíadas de Tóquio, os atletas de Mato Grosso do Sul que participarão da competição não foram contaminados pela doença, segundo informado pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro).

Conforme o COB, toda a comissão brasileira está “em perfeito estado de saúde” e não estou positivo para a doença, incluindo os setes nomes de Mato Grosso do Sul. Os atletas que participarão dos jogos são: Rafael Silva “Baby”, Leonardo de Deus, Fernando Rufino, Débora Benevides, Silvania Costa, Yeltsin Jacques e Fabrício Ferreira.

Na natação, o Estado será representado pelo Leonardo, que é campo-grandense, mas cresceu e treinou em várias cidades do Brasil. Já Rafael, que também é da Capital, mas erradicado no Paraná, competirá no judô.

O Estado também possui dois competidores na paracanoagem: Fernando, conhecido como o ‘Cowboy de Aço’, e Débora. Rufino, que natural de Eldorado, mas cresceu em Itaquiraí, está com a vaga garantida desde agosto de 2019, quando chegou em sexto lugar na prova do caiaque KL2 200m, durante o Mundial de Paracanoagem na Hungria.

Yeltsin Jacques irá disputar as provas de paratletismo e recebeu a companhia dos colegas Silvania Costa e Fabrício Ferreira, de Três Lagoas e Naviraí respectivamente.

Protocolo de Saúde

Para evitar a contaminação e disseminação da covid-19 entre a delegação do Brasil, o COB adotou medidas como:

  • Redução da delegação
  • Cancelamento dos programas Vivência Olímpica, Família Olímpica e Embaixadores
  • Realização obrigatória de exames clínicos e laboratoriais antes do embarque ao Japão
  • Restrição a oficiais que integrem o grupo de risco
  • Criação de uma comissão médica

De acordo com o COB, também foram enviados 14 mil testes de antígeno às bases do Time Brasil no Japão. Diversos itens de prevenção também foram incluídos no material enviado ao Japão: 85 mil máscaras descartáveis, 12.500 sapatilhas TNT, 400 borrifadores de álcool e 250 aventais, entre outros produtos.

A distribuição dos uniformes também foi modificada. Agora, cada integrante da delegação receberá os uniformes diretamente em seus quartos, dentro de uma mala. Os atletas tiveram que passar por um rígido protocolo específico, com apresentação de teste sorológico, entrega de exames completos e testagem RT-PCR a 11dias, 7 dias, 90h e 48h antes do embarque, além de teste de antígeno no aeroporto de Guarulhos.

Compartilhar:

Cuiabá vence Atlético-GO e sai do Z4 do Brasileirão

O Cuiabá derrotou o Atlético-GO por 2 a 1, na noite desta quarta-feira (21) na Arena Pantanal, e conquistou a segunda vitória seguida no Campeonato Brasileiro.

O resultado do jogo atrasado da 3ª rodada da competição tirou o Dourado da zona de rebaixamento, alcançando a 15ª posição com 12 pontos em 11 jogos. Já o Dragão ficou em 11º com 15 pontos.

O Dourado saiu na frente logo aos 4 minutos da etapa inicial, quando o meia Pepê aproveitou rebote, após duas boas defesas do goleiro Fernando Miguel, para balançar as redes.

Aos dois da etapa final, o atacante André Luís precisou de duas finalizações para empatar o jogo. Porém, aos 23 minutos o atacante Elton aproveitou rebote da cabeçada de João Lucas no travessão e mandou para o fundo das redes fechando o placar.

Na próxima rodada, o Cuiabá recebe o Corinthians na próxima segunda-feira (26). Um dia antes o Atlético-GO vai até a Vila Belmiro para enfrentar o Santos.

Compartilhar:

Atuação de Marta ganha reverência de Pelé: “mais que uma jogadora”

A grande atuação de Marta nesta quarta-feira (21), na goleada por 5 a 0 sobre a China, que inaugurou a participação da seleção feminina de futebol na Olimpíada de Tóquio (Japão), não passou batida por Edson Arantes do Nascimento, o Pelé.

Em postagem no Instagram, o Rei prestou reverência à Rainha, enaltecendo a carreira da camisa 10 e a inspiração que ela traz a mulheres de todo o mundo que sonham com reconhecimento no esporte.

Com os dois gols que marcou diante das chinesas, Marta chegou a 12 em cinco edições de Jogos, aproximando-se da também atacante brasileira Cristiane, a maior artilheira do torneio olímpico de futebol (entre homens e mulheres) com 14 gols.

Vale lembrar que a craque já é a goleadora máxima das Copas do Mundo, também considerando os dois gêneros, com 17 tentos, um a mais que o ex-centroavante alemão Miroslav Klose.

“Quantos sonhos você acha que inspirou hoje?”, indagou Pelé, antes de completar, “a sua conquista significa muito mais que um recorde pessoal. Ela simboliza a esperança de um mundo melhor, em que as mulheres conquistam muito mais espaço.

Esse momento inspira milhões de atletas de tantas outras modalidades esportivas, de todos os lugares do mundo, que lutam por reconhecimento. Parabéns pela sua trajetória. Parabéns, pois você é muito mais que uma jogadora de futebol. Você ajuda a construir um mundo melhor com os seus pés”.

O próximo compromisso de Marta e companhia será neste sábado (24), às 8h (horário de Brasília), diante da Holanda, no estádio de Miyagi, na cidade japonesa de Rifu. Ambos os times estrearam com vitórias no Grupo E do torneio olímpico. Também nesta quarta, as europeias, atuais vice-campeãs mundiais, aplicaram 10 a 3 na Zâmbia.

Compartilhar:

Palmeiras avança e confirma Choque-Rei nas quartas da Libertadores

Pela quarta vez na história, a Libertadores terá um Choque-Rei válido por uma fase eliminatória. Após a classificação do São Paulo às quartas de final, obtida na última terça-feira (21), nesta quarta-feira (22) foi a vez de o Palmeiras se garantir entre os oito melhores da edição 2021 da competição sul-americana.

A vaga alviverde foi assegurada com outra vitória por 1 a 0 sobre a Universidad Católica (Chile), agora no Allianz Parque. Há uma semana, o triunfo pelo mesmo placar foi no estádio San Carlos de Apoquindo, na capital chilena Santiago.

A vantagem nos duelos pela Libertadores é do Tricolor, que eliminou o Verdão nas três vezes em que os rivais duelaram no mata-mata (sempre pelas oitavas de final). Em 1994, após um empate sem gols no Pacaembu, o São Paulo ganhou em casa por 2 a 1 e se classificou.

Em 2005, o clube do Morumbi ganhou os dois jogos (1 a 0 fora e 2 a 0 como anfitrião). No ano seguinte, os times ficaram no 1 a 1 no Palestra Itália e os são-paulinos levaram a melhor na partida de volta, triunfo por 2 a 1.

Será o segundo confronto decisivo entre eles em 2021. O primeiro foi a decisão do Campeonato Paulista, conquistado pelo São Paulo, que triunfou no Morumbi por 2 a 0, após um 0 a 0 no Allianz.

O momento entre eles, porém, é bem favorável ao Palmeiras, líder do Campeonato Brasileiro e que atingiu a oitava vitória seguida na temporada (a melhor marca sob comando de Abel Ferreira).

O Tricolor, apesar de bater o Racing (Argentina) por 3 a 1, fora de casa, vive uma fase irregular, tendo ficado nove jogos sem ganhar no Brasileirão, onde é o 16º colocado, uma posição à frente da zona de rebaixamento.

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) prevê que os jogos pelas quartas de final ocorram nas semanas de 11 e 18 de agosto. As datas e horários, porém, ainda serão anunciados. O Palmeiras, por ter a melhor campanha, será o mandante da segunda partida. O duelo de ida será no Morumbi.

Diante da Católica, o Verdão se impôs sem dificuldades e só não construiu um placar mais elástico porque o goleiro Sebastián Pérez e o travessão, em duas tentativas do atacante Deyverson, aos 16 e aos 19 minutos da etapa inicial (esta última com participação do arqueiro), não deixaram.

A insistência alviverde foi recompensada aos 35. O meia Raphael Veiga acertou a trave após cruzamento do atacante Wesley, mas o lateral Marcos Rocha, no rebote, colocou os anfitriões na frente.

O ritmo da partida caiu no segundo tempo, mas sem que o protagonismo ofensivo deixasse de ser do Palmeiras. Por três ocasiões, em chutes do lateral Renan e do meia Zé Rafael (que tentou duas vezes), Pérez evitou que o placar se dilatasse. A Católica, acuada, pouco fez para buscar o empate.

Antes de se preocupar com a sequência da Libertadores, o Palmeiras volta a se concentrar no Brasileiro. Neste sábado (24), às 19h (horário de Brasília), o Verdão recebe o Fluminense, em São Paulo, pela 13ª rodada do torneio.

Compartilhar:

Organização da Olimpíada revela mais dois casos de covid-19 entre atletas

A organização dos Jogos Olímpicos de Tóquio confirmou nesta quinta-feira mais quatro casos de covid-19 entre pessoas que estão hospedadas na Vila Olímpica, na capital japonesa. Duas delas são atletas: a skatista holandesa Candy Jacobs e o mesa-tenista checo Pavel Sirucek.

Os dois esportistas e outras duas pessoas não identificadas, que a organização chama de “integrantes da equipe dos Jogos” (podem ser treinadores ou dirigentes), vão deixar a Vila Olímpica para fazer quarentena num hotel, após testarem positivo para o novo coronavírus.

Candy Jacobs era considerada candidata à medalha na modalidade street. Ela mesma já havia anunciado seu teste positivo nas redes sociais, horas antes de o Comitê Organizador dos Jogos oficializar o seu caso.

“Estou com o coração partido. Infelizmente fui testada positivo para covid-19 esta manhã, o que significa que minha jornada olímpica termina aqui. Estou me sentindo saudável e fiz tudo ao meu alcance para evitar esse cenário e tomei todos os cuidados. Felizmente, temos seguido os protocolos para que meus colegas skatistas ainda possam brilhar”, declarou Jacobs, de 31 anos.

Com estes quatro novos casos, a conta de testes positivos para a covid-19 em pessoas ligadas à Olimpíada chega a 91. Estes números começaram a ser contabilizados no dia 1º de julho e não incluem casos de atletas que apresentaram resultado positivo para a nova doença antes de chegarem a Tóquio.

Compartilhar:

Atlético-MG supera Boca nos pênaltis e avança na Libertadores

O Atlético-MG sofreu muito, mas garantiu a classificação para as quartas de final da Copa Libertadores após derrotar o Boca Juniors (Argentina) por 3 a 1 na disputa de pênaltis (depois de igualdade em 0 a 0), em partida disputada nesta terça-feira (20) no estádio do Mineirão.

O jogo de ida das oitavas de final, realizado na última terça (13) na Bombonera, também terminou em empate sem gols. Agora, na próxima fase o time de Minas Gerais encara quem passar entre Argentino Juniors (Argentina) e River Plate (Argentina). O primeiro confronto entre as equipes argentinas terminou em 1 a 1. A vaga será definida na próxima quarta (21).

Jogando em casa o Atlético-MG começou melhor, e criou oportunidades claras com Dodô e Zaracho, que perdeu, logo aos 3 minutos, cara a cara com o goleiro Rossi. O Galo continuou mandando nas ações, em especial em jogadas de velocidade. Mas o placar permaneceu inalterado até o intervalo.

No segundo tempo a equipe argentina melhorou na partida, e chegou a marcar aos 17 minutos, quando Villa levantou bola na área, em cobrança de falta da intermediária. Everson falhou e soltou a bola nos pés de Weigandt, que não perdoou. Mas, com auxílio do VAR (árbitro de vídeo), e em meio a muita confusão, o juiz anulou o gol por posição de impedimento.

O jogo continuou muito quente, mas com poucas oportunidades de lado a lado. Com isso, a vaga foi definida na disputa de pênaltis.

Everson brilha

O Galo começou muito mal, quando Hulk cobrou na trave. O zagueiro Rojo colocou o Boca na frente. Nacho Fernández deixou tudo igual e o goleiro Everson começou a brilhar, defendendo chute de Villa. Júnior Alonso bateu bem e colocou o Atlético em vantagem, que aumentou quando Everson pegou nova cobrança, desta vez de Rolón. Hyoran escorregou em sua cobrança e mandou longe. Mas, logo depois, é Izquierdoz quem perdeu.

Precisando de apenas um gol para confirmar a classificação, o goleiro Everson chamou a responsabilidade e bateu muito bem para garantir a classificação. Vitória de 3 a 1 do Galo nas penalidades máximas.

O Atlético-MG volta a entrar em campo, pelo Campeonato Brasileiro, no próximo domingo (25), quando recebe o Bahia no Mineirão.

Compartilhar:

Atletas de MS disputam o Sul-Americano de Atletismo Sub-20 e miram Mundial

Medalhistas de ouro no Campeonato Brasileiro de Atletismo Sub-20, em maio deste ano, Bruna Vieira de Jesus e Yuri Moreira Benites têm agora um desafio internacional pela frente, já que os atletas vão disputar o 44º Sul-Americano da categoria, que será realizado nos dias 9 e 10 deste mês, em Lima, no Peru.

Na capital peruana, os sul-mato-grossenses vão em busca de medalhas no lançamento do dardo. Ao todo, a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) convocou 74 atletas (39 no masculino e 35 no feminino).

A dardista Bruna Vieira de Jesus, de 18 anos, representa a Associação Desportiva Atletas de Cristo (Adac), de Campo Grande. A atleta, atualmente, é líder do ranking sul-americano sub-20 do dardo, com a marca de 48,57 metros.

Além do ouro no Brasileiro Sub-20 e de assegurar vaga ao Sul-Americano, a campo-grandense também estará em Santiago, no Chile, de 22 a 24 de outubro, para a disputa do Pan-Americano da classe.

Quem também lidera o ranking na América do Sul é Yuri Moreira Benites, de 16 anos, com 61,52 metros. No Brasileiro Sub-20, em Bragança Paulista (SP), o atleta da Escola Municipal Polo Indígena Mbo’eroy Guarani Kaiowá, de Amambai, ficou a 1,22 metro de atingir o índice exigido para ir direto ao Pan de Santiago. No entanto, em Lima, o dardista tem grandes chances de carimbar vaga rumo ao Chile em outubro.

O Campeonato Sul-Americano também é uma grande oportunidade de os atletas tentarem índices para o Campeonato Mundial Sub-20 de Nairóbi, no Quênia, de 17 a 22 de agosto. Ambos são beneficiários do Bolsa Atleta, concedido por meio da Fundação de Desporto e Lazer (Fundesporte).

Compartilhar:

Em bom jogo, Brasil derrota Peru e avança à final da Copa América

O Brasil está, pela segunda vez consecutiva, na final da Copa América. Diferentemente de 2019, quando havia certa empolgação com a seleção, agora Tite e seus comandados chegam à decisão de um torneio que não queriam disputar, em meio a uma pandemia que já matou mais de 525 mil brasileiros.

A classificação para a final veio após vitória por 1 a 0 sobre o Peru, nesta segunda-feira, no Engenhão, no Rio de Janeiro. A decisão será sábado, novamente no Rio, só que no Maracanã.

O Brasil vai enfrentar o vencedor da outra semifinal, que será disputada nesta terça, em Brasília, entre Argentina e Colômbia.

Assim, a final entre o país que aceitou receber a competição de última hora contra um dos dois que negaram o torneio (a Colômbia por causa de uma crise social e a Argentina devido ao avanço da pandemia).

A seleção buscará o seu décima título continental – o segundo seguido. Essa é a sexta vez que o País sedia a Copa América e em todas as edições anteriores o Brasil foi campeão.

Apesar da insatisfação pública dos jogadores e da comissão técnica com a Copa América, a seleção brasileira chega à final invicta, com uma campanha de destaque.

Em seis jogos, foram cinco vitórias e um empate. Foram raros os momentos em que o Brasil passou algum aperto ao longo da competição, tanto na primeira fase como a partir das quartas de final.

Nesta segunda, por exemplo, muito da vitória do Brasil foi conquistadas graças à boa conexão entre Neymar e Lucas Paquetá. Assim como já havia ocorrido nas quartas de final diante do Chile, o gol saiu de uma boa troca de passes entre os dois.

Paquetá, inclusive, soube aproveitar muito bem a oportunidade dada por Tite que o escalou entre os titulares na vaga de Gabriel Jesus, suspenso.

O Brasil dominou o começo do jogo, abriu espaços no meio da defesa peruana e pressionou muito o adversário. O goleiro Ederson, por exemplo, foi mero espectador durante praticamente todo o primeiro tempo.

Depois de várias tentativas, o gol do Brasil saiu aos 34 minutos do primeiro tempo. Após vacilo na saída de bola do Peru, Neymar invadiu a área, deu uma caneta em Callens e tocou para Paquetá, de primeira, estufar a rede com estilo.

No segundo tempo, o Brasil acabou relaxando a marcação e, com isso, deu campo de jogo para o Peru. Visivelmente cansada, a seleção brasileira diminuiu a intensidade e o jogo caiu de qualidade. O Peru rondava a área de Ederson, mas tinha dificuldades para criar chances claras de gol.

O Brasil apostava principalmente nas bolas lançadas para Neymar, na tentativa de pegar a defesa peruana desprotegida. Foi, então, que o Peru começou a fazer um rodízio de faltas no craque brasileiro.

Bastava Neymar encostar na bola para que um defensor chegasse junto com força para derrubá-lo. Neymar, no entanto, estava sobrecarregado porque Everton Cebolinha pouco participava do jogo. O ex-gremista mal encostava na bola e era apenas um figurante em campo.

Tite mexeu no time e tirou o atacante para a entrada de Everton Ribeiro, aos 24 minutos. Além de renovar a força ofensiva da equipe, a mudança também alterou a maneira de a seleção jogar.

Com Everton Ribeiro em campo, o Brasil teria mais posse de bola, na tentativa de segurar as investidas do Peru. Até certo ponto, a estratégia deu certo. Mas, nos minutos finais, o time passou a jogar sem organização e os peruanos fizeram ainda mais faltas. O Brasil, no entanto, soube se segurar até o apito final.

Lucas Paquetá, no entanto, preocupa para a grande decisão. O jogador do Lyon recebeu uma falta dura aos 44 minutos e, machucado, precisou ser substituído por Douglas Luiz.

FICHA TÉCNICA:

BRASIL 1 x 0 PERU

BRASIL – Ederson; Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Renan Lodi (Militão); Casemiro, Fred (Fabinho) e Lucas Paquetá (Douglas Luiz); Everton (Everton Ribeiro), Richarlison (Vinicius Junior) e Neymar. Técnico: Tite.

PERU – Gallese; Corzo (Lora), Santamaría, Ramos (García), Callens e Trauco (López); Tapia (Távara), Yotún, Peña e Cueva; Lapadula. Técnico: Ricardo Gareca.

GOL – Lucas Paquetá, aos 34 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS – Vinicius Junior, Marcos López e Yotún.

ÁRBITRO – Roberto Tobar (Chile).

RENDA E PÚBLICO – Jogo sem torcida.

LOCAL – Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

Compartilhar:

Tite culpa desgaste físico por queda de rendimento da seleção no 2º tempo

A seleção brasileira fez os seus melhores 45 minutos nesta Copa América na primeira etapa contra o Peru, na noite desta segunda-feira, pela semifinal.

No entanto, sofreu forte queda de rendimento no segundo tempo e até correu riscos. O Brasil avançou à final com uma vitória por 1 a 0. Ao fim da partida, Tite culpou o desgaste físico dos jogadores pelo fraco desempenho depois do intervalo.

“É uma equipe jogou que, em menos de 72 horas, jogou 45 minutos com um jogador a menos, com desgaste físico e mental muito forte A retomada de um padrão normal é muito difícil”, comentou o treinador, referindo-se à expulsão precoce de Gabriel Jesus nas quartas de final, na sexta-feira.

“Os trabalhos que executamos para o jogo também foram muito cuidadosos, e eu estou falando em aspectos físicos, também no aspecto alimentar, na fisioterapia. Toda o estafe de trabalho deu a melhor condição possível de recuperação, mas ela não foi (ideal), porque jogamos com um a menos. Traduzindo em números, a equipe jogou um jogo de futebol e mais 30% de um jogo no último jogo. Ela teve 72 horas para se recuperar, e não há tempo hábil”, argumentou.

Para Tite, o pouco tempo de recuperação entre as quartas e a semifinal também contribuíram para o cansaço dos jogadores, sendo que boa parte deles vem de uma temporada cheia na Europa – as férias só virão ao fim da Copa América.

“Por que estou falando isso? Porque fez um grande primeiro tempo, poderia ter traduzido em gols, não fez. E, com o passar do tempo, a capacidade de enfrentamento, mobilidade se perdeu aos poucos”, comentou o treinador, que guardou elogios para Lucas Paquetá, autor novamente do gol decisivo da seleção.

“Ficam meus parabéns ao Paquetá, mas também a toda a equipe, que fez um grande trabalho para que nós tivéssemos o desempenho que teve. O Brasil mereceu. Poderia ter feito um placar melhor, poderia ter traduzido em gols no primeiro tempo, mas não fez.”

O treinador também se mostrou preocupado com o cansaço mental do elenco brasileiro. “Há um desgaste mental muito grande. O (técnico do Uruguai, Óscar) Tabárez coloca de uma maneira muito inteligente, professoral. Ele disse que nesses jogos a gente faz uma maratona mental. E eu acho que ele conseguiu traduzir bastante o que são as pressões e os trabalhos dos jogadores e das comissões técnicas.”

Compartilhar:

Quatro atletas representam MS no Campeonato Brasileiro de Wrestling

Quatro atletas sul-mato-grossenses embarcam, nesta quinta-feira (8), rumo à Itabaiana (SE), para a disputa do Campeonato Brasileiro Sub-15 e Sub-23 de Wrestling, modalidade também conhecida como luta olímpica. Os confrontos acontecem no sábado (10).

Amanda Lima Leal, 21 anos, vai competir na categoria até 57 kg do estilo livre feminino. Ela tentará alcançar o sucesso do último Brasileiro Sub-13, quando foi ouro em 2019, em Cubatão (SP).

Quem também esteve no interior paulista há dois anos foi Pedro Samuel da Silva, 19 anos, conquistando o bronze. Agora, o campo-grandense buscará o lugar mais alto do pódio no estilo livre masculino até 74 kg.

Felipe Gabriel Prado, 17 anos, também vai encarar adversários na classe sub-23, pela categoria até 61 kg, estilo livre masculino. No mesmo estilo, Luan Alves Cabral, 14 anos, será o único representante do wrestling pantaneiro na sub-15 e vai ao tapete na categoria até 57 kg.

Na edição deste ano, em Sergipe, o Brasileiro Sub-15 vai classificar os campeões ao Pan-Americano da classe etária, que será realizado no México, com cidade a definir, de 21 a 24 de outubro deste ano.

Os atletas estarão acompanhados do técnico Agnaldo Pereira dos Santos, principal formador de talentos da luta olímpica em Mato Grosso do Sul. “Nossa expectativa é sempre por medalhas. Trabalhamos forte diariamente e procuramos levar às competições os que têm condições de medalhar, mesmo que não sejam campeões, mas que vão lutar por medalhas”, destaca.

Compartilhar:
×