Baixa procura põe em risco meta de vacinação projetada por Biden nos EUA

70% adultos vacinados até julho

Média de 1 milhão doses por dia

Em abril, pico de 3,4 mi vacinados

O plano do presidente norte-americano Joe Biden de vacinar 70% da população adulta dos EUA com ao menos uma dose de vacina contra a covid-19 até 4 de julho, Dia da Independência do país, fica cada vez mais longe de se tornar realidade por conta da queda na procura pela vacinação. As informações são do jornal The Washington Post.

Segundo informações do jornal, o país tem em média 1 milhão de doses aplicadas por dia, um declínio de mais de dois terços no comparativo com o pico de 3,4 milhões de doses diárias atingido em abril.

De acordo com a reportagem, 13 Estados já vacinaram cerca de 70% da população adulta. Outros 15 Estados estão acima de 60% e provavelmente atingirão a meta de Biden.

Entretanto, o restante está ficando para trás. Tennessee e 5 outros Estados estão com 50% ou menos da população vacinada, o que torna improvável atingir a meta do presidente.

 

 

A desaceleração resultou em diversas campanhas  para incentivar a imunização contra a covid-19.

A cidade de Nova York, por exemplo, distribuiu batatas fritas de graça em restaurantes Shake Shack, uma rede de fast food que foi criada na cidade, para quem apresentava a comprovação da vacina.

Possível influência na desaceleração

Em 13 de abril, O CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) e a FDA (Food and Drug Administration, autoridade sanitária dos EUA) decidiram suspender a aplicação da vacina da Janssen (braço farmacêutico da Johnson & Johnson) nos Estados Unidos.

O motivo é uma reação adversa rara em que a pessoa desenvolve coágulos de sangue. As agências afirmaram que foram registrados 6 casos no país.

Ainda de acordo com o texto, os EUA já teriam alcançado todos os chamados “frutos baixos”, pessoas que estavam completamente dispostas a se vacinarem. A partir daí, a batalha de convencimento é mais complicada: uma pesquisa realizada no país mostra que ao menos 1/3 dos norte-americanos não pretende se imunizar.

Compartilhar:

Embaixador da China comenta doação de vacinas pelos EUA: “Melhor que nada”

Repasse de 19 milhões de doses

6 mi para América Latina e Caribe

O embaixador da China no Brasil, Yan Wanming, reagiu ao anúncio divulgado nesta 5ª feira (03.jun.2021) de que os Estados Unidos doarão 6 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 para países da América Latina e do Caribe.

Melhor que nada”, disse a autoridade chinesa em publicação no Twitter. “É verdade, sempre fazemos todo o possível dentro do desejo e alcance”, acrescentou.

A China é um dos principais exportadores de IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) para o Brasil. O ingrediente é o principal insumo das vacinas contra a covid-19. Presidente do país, Xi Jinping já afirmou que foram doados mais de 300 milhões de doses de imunizantes para outros países.

 

 

Durante a abertura da Cúpula Global de Saúde do G20, grupo de países com as 20 maiores economias mundiais, ele também prometeu conceder R$ 3 bilhões nos próximos 3 anos para iniciativas que ajudem países em desenvolvimento no combate à pandemia. A informação foi publicada pela Agência Brasil.

Apoiaremos a Organização Mundial do Comércio e outras organizações internacionais a tomar uma decisão a respeito [deste assunto] com a maior brevidade possível”, afirmou.

DOAÇÃO DE DOSES

O governo dos Estados Unidos anunciou que irá compartilhar 75% das doses de vacinas contra a covid-19 que prometeu doar por meio do Covax Facility. O anúncio foi feito em nota divulgada pela Casa Branca nesta 5ª feira (3.jun).

O Covax é uma aliança da OMS (Organização Mundial da Saúde) para o acesso igualitário à vacina, e outros parceiros para a distribuição das vacinas. Segundo a nota do governo norte-americano, cerca de 19 milhões de doses serão distribuídas entre a América Latina e o Caribe, o Sul e o Sudeste da Ásia e a África.

O Brasil deve receber doses com o grupo da América Latina e Caribe, que receberá um carregamento de aproximadamente 6 milhões de doses. Em carta, o Fórum dos Governadores pediu “ao menos 10 milhões de doses” das vacinas que serão doadas.

Compartilhar:
×