Oposição ao PCC se arma com pistolas e granadas no maior presídio de MS

Facção criminosa que faz oposição ao PCC (Primeiro Comando da Capital) está se armando para enfrentar a quadrilha inimiga em possíveis confrontos dentro dos presídios de Mato Grosso do Sul. A guerra, que já existe nas ruas, bate às portas das cadeias e o grupo rival fortalece suas trincheiras para resistir.

Com exclusividade, o Campo Grande News apurou ontem (1º) que pelo menos duas pistolas – uma 9 milímetros e uma calibre 40 – foram encontradas durante pente-fino feito nesta quarta-feira por agentes do Cope (Comando de Operações Penitenciárias).

As armas estavam em celas do raio 3, onde ficam os presos de oposição ao PCC. Também foram apreendidas uma granada de uso militar e pelo menos cem munições.

A Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) confirma o pente-fino, mas não se manifestou sobre o armamento encontrado dentro do maior presídio de Mato Grosso do Sul, onde estão pelo menos 2.700 presos.

Preso baleado – Outra informação apurada com exclusividade pelo Campo Grande News é que um preso do raio 3 foi baleado por colega de cela. O episódio ocorreu no sábado (28), mas teria sido abafado pela direção do presídio.

Só hoje, depois de o caso ser denunciado, o preso baleado foi levado para atendimento médico dentro do presídio e depois submetido a exame de corpo de delito.

Também foi hoje que o ferimento por tiro dentro da PED chegou ao conhecimento da polícia. A reportagem apurou que a ocorrência foi registrado na 1ª Delegacia de Polícia Civil, mas o boletim foi colocado em sigilo.

A Agepen confirma o preso ferido, mas alega que a causa do ferimento ainda está sendo apurada. Fonte ouvida pela reportagem e que teve contato no setor de saúde diz que o médico confirmou se tratar de ferimento por arma de fogo.

Servidores do sistema penitenciário ouvidos pela reportagem denunciam que no raio 3 ficam os presos com certas regalias internas. O pente-fino de hoje foi feito com apoio do grupo de elite da Agepen. Quando a vistoria é feita no raio 2, onde ficam os presos do PCC, o serviço cabe à Tropa de Choque da Polícia Militar.

Essa teria sido a primeira vez que foram encontradas armas de fogo no raio da oposição ao PCC. Recentemente, membros da facção tentaram mandar munições através de drone, mas a “encomenda” foi interceptada pelos agentes penitenciários.

Ainda não está claro se o tiro que feriu o preso saiu de uma das pistolas apreendidas hoje ou se partiu de outra arma, que pode ter sido retirada do presídio na visita de familiares, no domingo (29).

Agepen – Em nota encaminhada pela assessoria de comunicação, a Agepen confirmou a vistoria na Penitenciária Estadual de Dourados, feita pelo Comando de Operações Penitenciárias.

“As operações de pente-fino ocorrem de forma sistematizada, conforme o cronograma de ações propostas, e contam com apoio da Secretaria de Justiça e Segurança Pública, com suas forças policiais e Serviço de Inteligência, que desenvolvem procedimentos necessários que prezem pela segurança da população”, afirma a agência.

Ainda segundo a Agepen, a vistoria aconteceu após interno “apresentar lesão em um dos pés”. A autarquia afirma que o preso foi imediatamente encaminhado ao atendimento médico no setor de saúde, mas não fala se o ferimento foi por tiro.

“O médico responsável elaborará um laudo sobre o atendimento oferecido ao interno, o qual indicará o tipo de objeto que provocou a lesão, como de praxe”, diz a nota.

A Agepen informou ainda que determinou a instauração de procedimento administrativo disciplinar para apuração dos fatos. Questionada pela reportagem se a agência iria se manifestar sobre as armas apreendidas hoje, a assessoria informou que as informações disponíveis “constam na nota encaminhada”.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×