Sicredi
Otica Visao
LSJ
Du Campo

TÉCNICA DE ENFERMAGEM MORRE DE COVID-19 ANTES DE RECEBER 2ª DOSE DA VACINA

A mulher de 50 anos sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu; ela testou positivo para o novo coronavírus no dia 13 de fevereiro

Por Paulo Henrique em 20/02/2021 às 09:39:25

Uma técnica de enfermagem morreu de covid-19, nesta sexta-feira (19), antes de receber a segunda dose da vacina contra o novo coronavírus. Nair de F√°tima Silva, de 50 anos, trabalhava no Hospital Universit√°rio de Londrina, no norte do Paran√°, h√° 26 anos.

Ela foi vacinada com a primeira dose no dia 21 de janeiro, mas n√£o pôde receber a segunda aplica√ß√£o nesta semana, pois j√° havia contraído o Sars-CoV-2.

"Qualquer vírus acaba dando uma diminuída no sistema imune. Ent√£o, se voc√™ toma vacina com alguma doen√ßa viral, principalmente a covid, ele acaba demorando mais ainda para ter uma resposta imune eficiente para combater possivelmente uma infec√ß√£o futura. Mesmo que ela estivesse com uma gripe normal, n√£o é indicado", explica Aline Stipp, doutora em microbiologia,.

Segundo a assessoria do HU Londrina, no dia 12 de fevereiro, a técnica de enfermagem que era diabética precisou ser internada após apresentar glicemia descompensada. No dia 13 de fevereiro, ela testou positivo para a covid-19 e no dia 16 recebeu alta médica. No entanto, nesta sexta, sofreu uma parada cardiorrespiratória em casa. Nair foi levada ao Hospital Zona Norte, mas j√° estava morta quando chegou no local.

Diante da pol√™mica nas redes sociais, onde v√°rias pessoas est√£o espalhando que o óbito teria sido causado pela vacina. A doutora ressalta que para que a pessoa esteja de fato protegida contra a covid-19, no caso da Coronavac, é indispens√°vel que ela tome duas doses da vacina.

"Ela n√£o estava protegida ainda com a efic√°cia comprovada nas pesquisas. Ent√£o, precisa tomar as duas doses para ter efetivamente 78% de efic√°cia, que é o que foi comprovado. A primeira dose n√£o diz se voc√™ est√° ou n√£o imune", diz Stipp.

A microbiologista ainda explica que mesmo após a segunda dose, é preciso esperar um período para que o corpo responda ao imunizante.

"A gente chama de janela imunológica. O organismo demora um período para responder à vacina, de 14 a 15 dias. Existem estudos que dizem que demora até 20 dias. Depende muito do sistema imunológico da pessoa. Ent√£o, ela tem que ficar resguardada, com m√°scara, com lavagens das m√£os, com o todos os cuidados ainda de duas a tr√™s semanas", completa Stipp.

O caso ser√° investigado pela 17¬™ Regional de Saúde do Paran√°. Conforme Felipe Assan Remondi, chefe da divis√£o de vigil√Ęncia sanit√°ria, é procedimento de praxe acompanhar todas as rea√ß√Ķes ocorridas em pessoas vacinadas por um período de até 30 dias depois da aplica√ß√£o do antivírus.

"Por ser uma vacina nova todos o eventos adversos desde o mais leves até os mais graves, ocorridos em até 30 dias após vacina√ß√£o, s√£o notificados e s√£o acompanhados pelo servi√ßo de saúde até para poder dizer se existe uma rela√ß√£o ou n√£o com vacina√ß√£o", diz Remondi.

Fonte: Ricmais

Comunicar erro
Criativa