G7 da CPI da Covid decide votar convites a Osmar Terra e Ludhmila Hajjar

Deputado é próximo a Bolsonaro

Seria do “gabinete das sombras”

Médica falaria de sequelas da covid

Senadores independentes e de oposição ao governo Bolsonaro na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid decidiram votar na próxima 3ª feira (8.jun.2021) convites para o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS) e a médica Ludhmila Hajjar comparecerem ao colegiado.

A iniciativa vem na esteira da divulgação de um vídeo com trechos de um evento em setembro de 2020 em que o doutor em virologia Paolo Zanotto propôs ao presidente Jair Bolsonaro a criação de um “gabinete das sombras” para aconselhar o governo federal no combate à pandemia de covid-19. Terra estava sentado ao lado de Bolsonaro no encontro com profissionais de saúde, que tinham o deputado gaúcho como um “padrinho“.

Também presente no evento, médica oncologista Nise Yamaguchi disse que era uma “honra” trabalhar com o deputado “nesse período” –sem mais detalhes. Na 3ª feira (1.jun.2021), Yamaguchi ratificou a senadores da CPI declarações anteriores em que defendia o tratamento precoce como forma de salvar vidas na pandemia e que, por isso, a vacinação de toda a população não seria necessária, mas negou conhecer um “gabinete paralelo”.

 

 

Membro titular da comissão, o senador Otto Alencar (PSD-BA) confirmou ao Poder360 que o vídeo do encontro no Planalto criou o ambiente para o convite a Osmar Terra. “Ele foi, talvez, um dos maiores defensores de imunidade de rebanho e do tratamento precoce. E foi negacionista contra a vacina”, ressaltou.

O vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), manifestou nos últimos dias a vontade de apresentar um requerimento pela convocação de Terra. No entanto, o pedido esbarraria no mesmo dispositivo do regimento interno do Senado que criou restrições à ampliação do escopo de investigação da comissão para governadores e prefeitos. O Art. 146 não admite comissão parlamentar de inquérito sobre matéria pertinente à Câmara dos Deputados.

Pós-covid

No caso de Ludhmila Hajjar, que é professora da USP (Universidade de São Paulo) e médica do Instituto do Coração, a intenção dos senadores do G7 é não só questioná-la sobre a decisão de recusar um convite para assumir o Ministério da Saúde como, também, ouvir uma autoridade médica que possa descrever a realidade do ambiente hospitalar no enfrentamento ao novo coronavírus. Segundo Otto Alencar, a CPI quer buscar informações sobre o chamado pós-covid, para debater os efeitos sentidos por pacientes mesmo após se curarem da doença.

Até agora por parte do governo não existe solidariedade com as pessoas que morreram e com aquelas que vão ficar com sequelas muito graves de pulmão, cardíaca, psicológica”, comentou o senador. “Quem não conhece a realidade, como o presidente [Bolsonaro], que não visitou um hospital, não sabe o que é puxar o ar e o ar não entrar no pulmão”, criticou.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×