MS recebe novo lote de AstraZeneca; vacina estava em falta em 11 municípios

Depois de quase duas semanas sem receber novos lotes de AstraZeneca, desembarcaram 30.250 mil doses da vacina, ontem, quinta-feira (16) em Campo Grande.

O governo do estado chegou a anunciar a intercambialidade de vacinas para quem estava com a segunda dose de AstraZeneca atrasada. A medida vai continuar valendo.

O carregamento da AstraZeneca chegou às 13h55m, o Estado também recebeu 37.440 mil doses de Pfizer. Somando, são 67.690 novas doses para Mato Grosso do Sul.

Intercambialidade

 

Nesta semana, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) autorizou os municípios a realizarem a chamada “intercambialidade” de vacinas contra a Covid.

A medida foi publicada na terça-feira (14), depois que o País começou a sofrer com a falta de AstraZeneca. Só no Estado, eram pelo menos 11 cidades sem a vacina para aplicar a segunda dose em quem já tomou a primeira de AstraZeneca.

Estavam sem doses as cidades de Anastácio, Aquidauana, Costa Rica, Coxim, Dourados, Eldorado, Ladário, Mundo Novo, Ponta Porã, São Gabriel do Oeste e Três Lagoas.

Em Campo Grande, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) chegou a dizer que não faria a intercambialidade por enquanto porque as doses disponíveis de AstraZeneca são suficientes para dar andamento ao calendário.

Como vai funcionar

 

Quem tomou a primeira dose da AstraZeneca ou da CoronaVac poderá receber a segunda dose com a vacina da Pfizer, desde que respeitados os prazos definidos entre as aplicações.

A justificativa para a aprovação da intercambialidade foi para não atrasar o calendário vacinal. Isso porque foram quase duas semanas sem envio de AstraZeneca aos Estados devido à falta de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) para produção de doses pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Mato Grosso do Sul é o estado que mais vacinou a população no País. Aqui, 93,59% da população adulta vacinável maior de 18 anos recebeu primeira do imunizante e 67,79% foram imunizados com a segunda dose.

Compartilhar:

Secretaria de Estado de Saúde mantém vacinação de adolescentes no MS

A Secretaria de Estado de Saúde informa que está mantida a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos com o imunizante da Pfizer.

O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, destacou que há grande adesão dos adolescentes na campanha de imunização e que não foi registrado efeito adverso grave nos adolescentes que tomaram a vacina no Estado. “Tranquilizamos todas as famílias neste momento. Se seu filho tomou a vacina, fiquem tranquilos. Se ainda não tomou, podem faze-lo”, completou.

A vacinação para este público foi tomada com base em evidências cientificas, por esta razão, a Secretaria de Estado de Saúde mantém a vacinação para este público em Mato Grosso do Sul.

O Estado de Mato Grosso do Sul, por meio do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), já adotou medidas junto a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), solicitando informações a respeito do posicionamento da mesma, em relação a nota informativa Nº 1/2021-SECOVID/GAB/SECOVID/MS, emitida de forma unilateral pelo Ministério da Saúde, em 15 de setembro.

A Secretaria de Estado de Saúde reitera que não há registro de caso de efeito adverso da vacina em adolescentes em Mato Grosso do Sul e reforça que pais ou responsáveis continuem vacinados os adolescentes com ou sem comorbidades, até que o esquema vacinal seja completado.

A Secretaria de Estado de Saúde destaca que caso surjam novas informações sobre a vacinação de adolescentes, o assunto será amplamente divulgado a toda população sul-mato-grossense.

Compartilhar:

Operação “Deu Zebra” fiscaliza 32 pontos de jogo do bicho e cinco são presos

Na capital, a polícia civil de Mato Grosso do Sul realizou ontem quinta-feira (16), a segunda fase da operação “Deu Zebra”, com o objetivo de combater pontos de apostas do jogo do bicho . A ação, que teve início às 10h, contou com a participação de 76 policiais civis, que fiscalizaram 32 possíveis pontos de “apontamento”.

Cinco pessoas foram detidas, nos bairros Coophavila II, Caiçara, Taquarussu e Tijuca, sendo quatro por jogo do bicho e uma pela prática de loteria não autorizada.

As pessoas detidas foram levadas para as delegacias das áreas em que foram flagradas cometendo ilícitos e, após serem ouvidas, assinaram termo de compromisso e comprometimento, conforme legislação vigente.

Deu Zebra

A primeira fase da Operação foi deflagrada no dia 3 de setembro e contou a participação de todas as delegacias do Departamento de Polícia da Capital e Delegacias Especializadas.

Na ocasião, 72 pontos de jogos do bicho foram alvos da operação. A ação aconteceu em todos os bairros da cidade, resultando na elaboração de 28 boletins de ocorrências.

 

Compartilhar:

Seca no rio Paraguai segue crítica e chuvas devem ser insuficientes na primavera

O rio Paraguai vivencia a pior e mais longa seca da história no Pantanal com graves consequências para a fauna e flora, de acordo com a Sala de Crise do Pantanal. Em Mato Grosso do Sul o rio Paraguai está com os piores índices entre os rios monitorados, estando com 51 centímetros a menos que no mesmo período de 2020 em Porto Murtinho.

De acordo com o boletim elaborado pela Sala de Situação do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), a régua de Porto Murtinho marca 115 centímetros, sendo que no mesmo dia de 2020, marcava 166 centímetros, uma redução de 51 cm.

Na régua de Ladário a situação é ainda pior. Em 16/09/20 marcava 28 centímetros, enquanto na mesma data deste ano chega a -13 centímetros, redução de 41 cm. Fiscal Ambiental e coordenadora da Sala de Situação, Elisabeth Arndt explica que a última régua vai de zero a 100 centímetros, estando o rio abaixo do zero atualmente.

Dos seis rios do Estado monitorados pela Sala de Situação, apenas o rio Taquari está com níveis dentro do normal, enquanto os rios Piquiri, Aquidauana/Miranda, Aporé e Pardo estão com níveis de estiagem. A Sala de Situação publica boletins diários, para acessar basta clicar no link www.imasul.ms.gov.br/sala-de-situacao.

Titular da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), o secretário Jaime Verruck explica que as chuvas do verão passado foram abaixo do esperado, fazendo com que os rios entrassem no período de seca com níveis mais baixos que no ano passado. “Estamos vivenciando uma crise hídrica e o Governo do Estado tem se preocupado em monitorar os rios, como é feito diariamente na sala de situação do Imasul”.

De acordo com o Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima), a chegada da primavera em 22 de setembro não deve ser suficiente para recompor os níveis dos rios. A previsão para os meses de outubro, novembro e dezembro é de chuvas dentro da média climatológica, variando entre 300 e 700 milímetros no Estado.

Em 2020, em grande parte dos municípios do Estado o acumulado de chuvas no trimestre ficou entre 100 e 300 mm. Exceto na região sul que os acumulados de chuva foram de 300 a 600 mm, e na região norte entre 100 e 200 mm.

Compartilhar:

Governo Federal cria programa para melhorar qualidade das águas dos rios

Foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (17) a Portaria 439/21, do Ministério do Meio Ambiente, que cria o Programa Rios + Limpos, último eixo da Agenda Ambiental Urbana. A partir da disponibilização de dados sobre a qualidade das águas e efluentes em uma plataforma digital, o objetivo do programa é contribuir para a melhoria da gestão de efluentes e saneamento básico em todo o país.Governo Federal cria programa para melhorar qualidade das águas dos riosGoverno Federal cria programa para melhorar qualidade das águas dos rios

Segundo o Ministério do Meio Ambiente, que lançou a iniciativa ontem no Mato Grosso, esse sistema vai oferecer mais transparência para os usuários e gerar incentivo a melhorias operacionais, além de aprimorar a orientação de ações de fiscalização pelos órgãos ambientais e agências reguladoras, com instrumentos para verificação das metas de desempenho.

A iniciativa vai permitir ações de despoluição dos rios, incentivar a limpeza e coleta de lixo em rios, lagos, lagoas e praias fluviais, além da implementação de sistemas de tratamento descentralizado de efluentes em áreas não atendidas pelos sistemas tradicionais, bem como a promoção de projetos que visem o reuso de efluentes no país.

Ainda segundo o MMA, a plataforma para informatização dos dados de saneamento, inserida entre as ações do Marco Legal do Saneamento Básico, permitirá uma regulação mais robusta e fiscalização mais ágil e, com isso, melhores serviços prestados aos cidadãos. O novo Marco do Saneamento prevê atração de investimentos de R$ 700 bilhões e geração de mais de 700 mil postos de trabalho.

Compartilhar:

Idoso morre dentro de motel após ataque cardíaco

Idoso identificado como Alberto Domingo Galeano, de 68 anos, morreu dentro de um quarto de motel localizado na Villa Amélia, em San Lorenzo, no Paraguai.

Ele sofreu uma parada cardíaca, segundo relatou a acompanhante, de 39 anos.

A polícia informou que os dois chegaram ao local por volta das 18h38 de ontem (16), e o homem começou a sentir dores e dificuldades para respirar. Ao lado da cama, os agentes encontraram junto com os pertences da vítima, comprimidos estimulantes sexuais.

O Corpo de Bombeiros foi acionado, bem como uma equipe de primeiros socorros. Alberto tentou ser reanimado, porém não adiantou.

Ainda segundo a Polícia Nacional do país vizinho, o fato foi comunicado para a promotora Maria Genoveva e também Perícia Técnica.

Compartilhar:

Jacaré de quase 2m é capturado dentro de residência em MS

Policiais militares ambientais de Porto Murtinho realizaram a captura de um jacaré no perímetro urbano da cidade.

Uma moradora do bairro Jockey Club acionou a PMA ontem (16) no final da tarde, informando que o animal estava em um pequeno depósito no quintal de sua residência.

Uma equipe foi ao local e capturou o jacaré de quase dois metros com uso de cambão e o colocou em uma caixa de contenção. Como ele não apresentava ferimentos, a equipe realizou a soltura à margem do rio Paraguai, distante da cidade.

Compartilhar:

Jacaré de quase 2m é capturado dentro de residência em MS

Policiais militares ambientais de Porto Murtinho realizaram a captura de um jacaré no perímetro urbano da cidade.

Uma moradora do bairro Jockey Club acionou a PMA ontem (16) no final da tarde, informando que o animal estava em um pequeno depósito no quintal de sua residência.

Uma equipe foi ao local e capturou o jacaré de quase dois metros com uso de cambão e o colocou em uma caixa de contenção. Como ele não apresentava ferimentos, a equipe realizou a soltura à margem do rio Paraguai, distante da cidade.

Compartilhar:

Governo de MS estuda volta às aulas 100% presenciais no mês que vem

Mato Grosso do Sul estuda já para o próximo mês, outubro, a retomada de 100% das aulas presenciais em toda a rede estadual de ensino. A análise é feita pela SED (Secretaria de Estado de Educação) e pelo grupo gestor do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança na Economia). O resultado deve sair em breve.

Conforme informação repassada pela assessoria de imprensa da pasta de Educação, a proposta foi feita pela própria chefe da secretaria, Maria Cecilia Amêndola Motta, que também faz parte da gestão do Prosseguir.

Devem ser reanalisados os dados da imunização contra a covid-19 no Estado e definidos novos critérios para que se consiga esse retorno. “É uma questão de bandeira. É nisso que a gente se pauta”, explica a comunicação da SED.

No caso, é necessário que haja melhora nos índices e passagem para bandeiras que representem menor nível de gravidade para que o fim do escalonamento e retorno das aulas totalmente presenciais sejam confirmadas. Minuta definida pela própria SED impõe retorno das aulas quando se chegar à bandeira amarela.

Hoje, a REE (Rede Estadual de Educação) funciona com aulas escalonadas, ou seja, de forma semipresencial, revezando as datas em que as turmas vão para a escola. Ao todo, mais de 200 mil alunos estão matriculados nas escolas estaduais sul-mato-grossenses, que atendem o Ensino Fundamental e o Ensino Médio.

Retorno antecipado – Na avaliação do presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), o retorno já em outubro pode ser visto como uma antecipação, mesmo que a vacinação tenha avançado e os números da covid-19 estejam em plena redução em todo o Estado.

“A categoria não foi notificada sobre nada. Ela [Maria Cecilia] não conversou com a gente, mas evidente que conforme melhore as bandeiras, as aulas presenciais são ampliadas. Porém, é preciso avaliar melhor, pois há muitas cidades, grandes, em bandeira vermelha ainda”, comenta Jaime Teixeira.

O sindicalista ainda afirma que é preciso analisar os protocolos sanitários, que estão funcionando bem atualmente, mas sem o escalonamento podem surgir problemas. “Com salas mais cheias, e em muitas escolas essas salas são pequenas, não se conseguir cumprir o distanciamento mínimo”, frisa.

Para Jaime, o melhor a se fazer no momento seria seguir com o escalonamento até o fim do ano e, em 2022, voltar ao ensino totalmente presencial. “Falta só um bimestre para encerrar o ano, então seria melhor ficar para 2022 esse retorno, acredito. Mas como até agora não nos foi passado nada, fica difícil falar”.

A reportagem tentou contato com Maria Cecilia para detalhar a situação, mas ela participa de evento em Ponta Porã e não pôde atender as ligações. A ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública) também foi procurada para comentar a situação, mas não houve êxito até então.

Bandeiras – As bandeiras do Prosseguir estão divididas em cores, variando entre a verde, que indica risco baixo de contágios, e a cinza, que indica risco extremo. O amarelo indica grau tolerável, enquanto o risco médio e o alto são, respectivamente, representados pelas bandeiras laranja e vermelha.

Atualmente, Mato Grosso do Sul não conta com nenhuma cidade em grau verde nem em grau cinza, enquanto a bandeira vermelha está presente em apenas 16 das 79 cidades do Estado – entre elas Campo Grande, Dourados, Naviraí e Ponta Porã.

Já a bandeira laranja opera em 33 municípios – alguns deles são Aquidauana, Coxim e Paranaíba. Por fim, o grau tolerável, indicado pelo amarelo, é registrado em cidades como Corumbá, Sidrolândia, Porto Murtinho e Rio Brilhante.

Os indicadores constam no mapa situacional da 35ª semana epidemiológica deste ano, com recomendações válida até a próxima quarta-feira (22). A partir de então, novas recomendações são feitas para as prefeituras.

 

Compartilhar:

Alexandre suspende portaria de Bolsonaro que dificulta rastreio de armas

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu nesta quinta-feira, 16, a portaria editada pelo Comando Logístico do Exército para revogar o chamado Sistema Nacional de Rastreamento de Produtos Controlados. Na prática, a medida descartou regras anteriores que permitiam um controle mais rígido sobre a circulação de armas e munições.

A decisão liminar foi tomada em ações movidas pelo PDT e pelo PSOL e ainda vai passar pelo crivo do plenário, que precisa decidir se mantém ou derruba a suspensão. O julgamento no plenário virtual está previsto para começar na sexta-feira, 17.

Moraes disse que não existe ‘motivação válida’ para o governo federal se ‘recusar a adotar critérios e procedimentos necessários’ para o controle de armas e dos seus insumos.

“O imotivado veto à implementação de medidas de marcação e rastreamento de PCEs, em prejuízo ao controle e repressão do comércio ilegal de armas e munições, caracteriza o desvio de finalidade do ato que revogou integralmente as Portarias 46, 60 e 61 do Comando Logístico do Exército Brasileiro, em inobservância aos princípios constitucionais da impessoalidade, da moralidade e do interesse público”, escreveu.

O entendimento do ministro vai contra o posicionamento do Ministério Público Federal. O procurador-geral da República, Augusto Aras, defendeu o arquivamento dos processos por considerar que eles ‘perderam o objeto’ com a edição de novas portarias para regulamentar o tema, publicadas hoje no Diário Oficial da União. Elas disciplinam a identificação e marcação de armas de fogo e o monitoramento das ocorrências envolvendo produtos controlados.

Na avaliação do procurador-geral, as novas portarias ‘descaracterizam o alegado quadro de incertezas e controvérsias’ apontado pelos partidos.

“Verificada a superveniência de atos normativos que promovem a alteração substancial do complexo normativo atinente à fiscalização e ao rastreamento de produtos controlados pelo Exército impugnado na petição inicial, de modo a colmatar o suposto vácuo normativo apontado pelo requerente como violador de preceitos fundamentais, verifica-se a perda superveniente do objeto da arguição”, defendeu o PGR.

Em manifestação enviada nesta noite ao gabinete do ministro Alexandre de Moraes, a Advocacia-Geral da União (AGU) também defendeu que as novas portarias editadas ‘esvaziam o interesse jurídico’ no prosseguimento das ações.

“Considerando a substancial alteração do complexo normativo pertinente às controvérsias em exame, as arguições de descumprimento de preceito fundamental devem ser extintas sem resolução do mérito”, disse o advogado-geral da União Bruno Bianco.

Compartilhar:
×