Agente funerário que preparou o corpo de Marilyn Monroe revelou que a artista ficou quase irreconhecível

Quase 60 anos depois, novos fatos sobre a morte de Marilyn Monroe continuam surgindo! Desta vez, um livro publicado por Allan Abbot, sócio no serviço funerário Abbott & Hast, contou detalhes chocantes sobre a morte da atriz. Allan foi o agente funerário responsável pela preparação do corpo de Marilyn para o sepultamento, que aconteceu em agosto de 1962.

No livro, que aborda também a morte de outros artistas da época, foi relatado que seu rosto estava coberto por manchas rochas, que as raízes do cabelo loiro estavam aparentes e que ela precisava de uma manicure e pedicure.

uando removemos o lençol que a cobria, era quase impossível acreditar que este era o corpo de Marilyn Monroe. Ela parecia uma mulher idosa e mediana que não estava cuidando muito bem de si mesma. Obviamente, as circunstâncias em torno de sua morte exacerbaram muito sua aparência pobre e ela estava irreconhecível, relatou.

O autor explicou que as manchas rochas foram ocasionadas pela ação da gravidade, que direciona o sangue para o ponto mais baixo do corpo.

Essa condição é chamada de lividez e, como muitas pessoas morrem de costas, a descoloração que ocorre raramente é visível. Marilyn morreu de bruços, o que levou a manchas roxas por todo o rosto. Dava para ver que ela não tingia os cabelos há algum tempo, porque as raízes eram mais escuras e cresceram cerca de meia polegada. Sua cor natural de cabelo era castanho claro, não loiro. Suas pernas não eram raspadas há pelo menos uma semana e seus lábios estavam muito rachados. Ela também precisava de manicure e pedicure. 

Que tenso, né?

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×