90% DOS CASOS DE SUICÍDIO PODERIAM SER EVITADOS, SEGUNDO OMS

O suicídio é uma questão importante de saúde pública. Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, que tem como objetivo alertar a população a respeito da realidade do problema no Brasil e no mundo, e discutir as formas de prevenção. A prevenção precisa começar nas famílias, nas escolas e também nas comunidades, como as igrejas.

Segundo relatórios da OMS (Organização Mundial da Saúde) e de Programas de Saúde Mental, cerca de 1 milhão de pessoas cometem suicídio por ano. Nas estatísticas de tentativas (suicídios não concretizados) este número sobe para entre 15 a 25 milhões por ano. Para cada pessoa que comete suicídio, cerca de seis a dez pessoas próximas sofrerão de adoecimento emocional decorrente desta situação. Atualmente é a segunda maior causa de morte entre jovens (15-29 anos), um alto índice também em idosos e grupos populacionais que incluem pessoas que foram vítimas de violência. Apesar de sua maior incidência ser em países de baixa renda e desigualdade social, vem apresentando crescimento em países desenvolvidos com o aumento de quadros depressivos e abuso de álcool/drogas. O Brasil é hoje o oitavo país do mundo em número de suicídios.

A cada 40 segundos uma pessoa coloca fim a própria vida em todo o mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil 32 pessoas se suicidam todos os dias, de acordo com a mesma organização. Essa taxa já ultrapassou a quantidade de vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. O estudo aponta ainda que 9 em cada 10 casos poderiam ser evitados. Os dados impactantes mostram uma realidade que pode ser mudada para isso é preciso quebrar os tabus, falando sobre o assunto, conscientizando e estimulando a prevenção. Manter a questão como um mal silencioso nada ajuda na reversão desse triste cenário.

O suicídio continua sendo camuflado em conversas do dia a dia e ainda é visto como tabu e motivo de vergonha, condenação, sinônimo de loucura ou covardia. Mas não se pode fingir que este assunto não está presente em nossos dias e tentar de alguma maneira poupar filhos, familiares e amigos, pois algum deles pode precisar de ajuda psicológica mas não sabe como pedir auxílio por medo ou vergonha.

Então, podemos concluir que a vida vale a pena, mesmo quando passamos pelos vales da sombra da morte!

Estejamos atentos àqueles que estão à nossa volta e carentes de nossa atenção e carinho.

Que eu e você possamos ser instrumento de cura!

 

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×